Artigo

Artigos

Artigos

Brazilian Computer Graphics Magazine 2017

Como está o crescimento do mercado de jogos no Brasil

11-01-2021

como-está-o-crescimento-do-mercado-de-jogos-no-brasil


O mercado de jogos em todo mundo é extremamente valioso. Em 2018, a indústria movimentou mais de U$ 180 milhões em todo o mundo, com o mercado de celular liderando este valor, com quase 60% do market share. Mas com tanto dinheiro envolvido, fica a pergunta: como está o crescimento do mercado de jogos no Brasil?


O crescimento potencial

Uma única palavra resume o mercado de jogos no Brasil: potencial. A pesquisa da Newzoo, com dados de 2018, coloca o Brasil como 13º colocado entre os países com os maiores mercados de games do mundo. São mais de U$ 1,5 bilhão movimentados e mais de 75 milhões de jogadores. Os números são enormes, mas a ótima notícia é que eles ainda devem crescer mais.


Apesar de toda a crise recente, a pesquisa geral deixa claro que o futuro é muito promissor para PCs e os consoles, mesmo com o celular se tornando uma plataforma extremamente forte. Para o Brasil, especificamente, o futuro é ainda mais promissor.


O problema dos impostos


O Brasil tem uma malha de impostos extremamente rígida, especialmente quando o assunto são os games. Enquanto algumas empresas e publishers produzem seus jogos no país, a maioria é importada, fazendo o imposto ter um valor altíssimo, podendo chegar até mesmo a 70%. Porém, existe uma ótima notícia.


A PEC para a redução desses impostos foi aprovada pela CCJ, o que mostra que existe um interesse real do Governo em fazer esse cenário caminhar rumo a uma redução. É claro que ainda existem entraves para a aprovação total da Lei que irá diminuir esses impostos, mas parece que estamos tomando o rumo certo.


O que isso significa para o crescimento do mercado?

O objetivo da PEC é bem claro: aproveitar o potencial do mercado de games brasileiro. Enquanto somos a 9ª maior economia do mundo, somos apenas o 13º nos games. Isso significa que existe alguma coisa errada no caminho.


A resposta mais óbvia é que os impostos elevam os preços dos consoles e dos jogos a um ponto que o mercado fica muito mais restrito. Com a PEC, é esperada uma redução neles, de modo que seja gasto ainda mais dinheiro no mercado de games brasileiro para que possamos subir de posição.


Esse problema já é discutido há bastante tempo. Na época do “Jogo Justo” foi ensaiado o movimento para esta redução dos impostos, que travou no conturbado cenário político brasileiro.


O mesmo pode acontecer agora. Enquanto existe uma intenção clara de figuras maiores no poder, como o próprio presidente e o ministro da economia, em movimentar essa redução, é sempre possível que sejam encontrados ainda mais obstáculos.


Porém, o cenário do crescimento no mercado de jogos é muito positivo, no Brasil e no mundo. O PS4 vendeu mais de 100 milhões de cópias, tornando o videogame a alcançar este patamar mais rapidamente. O Switch, novo console da Nintendo, vendeu quase 35 milhões de cópias em apenas dois anos de mercado. Isso sem falar no crescimento e potencial dos celulares, que ficam cada vez mais poderosos.


O cenário de crescimento de jogos no Brasil é extremamente positivo. Os sinais de crescimento externo, além de um rumo positivo no mercado interno, podem tornar o Brasil uma potência e um dos maiores mercados de games de todo o mundo. Exatamente o que deveríamos ser.


Gostou do artigo? Saiba mais em nossas edições da revista!

Seja avisado quando a nova edição for lançada